brazilyellowpages.com

Google
 

[Under Construction]

HOME PAGE - FORMULA 1 DRIVERS LISTINGS

AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

RACE WINNERS

FORMULA 1 MANUFACTURERS

FORMULA 1 DRIVERS PER NATIONALITY

BRAZILIAN PRODUCTS

HAVAIANAS

ENCICLOPÉDIA DE AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

MORTGAGES

RACING NEWS

BRAZILIAN MUSIC

FLORIDA

MEDICAL INFORMATION

COFFEE

INTERNET DOMAINS

REAL ESTATE

BRAZILIAN EXPORTERS

BRAZILIAN IMPORTERS

TRANSLATIONS

MEXICAN IMPORTERS

AMERICAN IMPORTERS

PERSONAL FINANCING

CREDIT

TRAVEL

IMMIGRATION

INTERNET

PORTUGUESE BUSINESS DICTIONARY

VENCEDORES DE CORRIDAS NO BRASIL

CAMPEÕES BRASILEIROS DE AUTOMOBILISMO

blog

 

BRAZILIAN PRODUCTS

TRADUÇÕES JURAMENTADAS

PASSAGENS

MEDICAL INFORMATION

IMPORTERS

INTERNET

JOBS

WEB HOSTING

CIFRAS MUSICAIS

REAL ESTATE

ARTICLES

COFFEE

MORTGAGES

AUTO RACING

RECEITAS

EXPORTERS

PERSONAL FINANCE

CREDIT ISSUES

 TRAVEL

ARTIGOS

CRÔNICAS

FUTEBOL

Copyright © 2003 Carlos de Paula

Não pode ser reproduzido sem a permissão do autor

FUSCA NAS CORRIDAS BRASILEIRAS  

Por Carlos de Paula

 

O impacto do Fusca no mundo automotor brasileiro é indiscutível. Foi o carro mais produzido no País, e centenas de milhares de fuscas ainda rodam pelo Brasil inteiro, apesar da fabricação do modelo ter sido interrompida em 1986 (voltou a ser fabricado por algum tempo, por iniciativa de Itamar Franco, em 1993, em números incipientes). Muitíssimos brasileiros aprenderam a dirigir em fuscas, tiveram-no como seu primeiro carro, e não é de se surpreender que o fusca também tenha tido um grande impacto no automobilismo de competição. Foi escola em todos os níveis. Táxi-mirim, rádio patrulha, só faltou ser o carro presidencial...

 A VW escolheu o Brasil como um dos seus principais mercados já no início dos anos 50. De fato, embora diga-se que Juscelino Kubitschek implementou a indústria automobilística brasileira, a VW já havia estabelecido instalações no Brasil em 1952, para montar veículos enviados da Alemanha na forma CKD (completely knocked down). Em 1954, os VW  já tinham 40% de nacionalização.

 Os primeiros VW tinham um motor bem fraco, de 1200 cc, sem veia competitiva. Cabe lembrar que nos anos 50, o preparo de motores VW ainda não estava desenvolvido em nenhum país. Curiosamente, o Sedã VW teve uma excelente atuação na primeira edição (1956) daquela que se tornaria a prova de maior prestígio no Brasil: as 1000 milhas. Mas era um fusca fajuto. Christian Heins e Eugenio Martins dirigiram um sedã VW equipado com motor Porsche de  1500 cc. E o pequeno carrinho se misturou no meio das poderosas carreteras, chegando em heróico segundo lugar!

 

VW-Porsche de Bino Heins/Eugenio Martins: 2o. nas Mil Milhas de 1956

Depois dessa excelente performance, o VW hibernou nas competições brasileiras. Vira e mexe, algum piloto preparava um VW para corridas, mas entre os carros de menor cilindrada os prediletos eram o DKW-Vemag e o Gordini/Dauphine (1093). A VW foi a única entre as fábricas de carros que decidiu não participar do automobilismo de competição na fase inicial. Até a estatal FNM, sempre em situação pré-falimentar, teve uma atuação destacada no início da década, com os modernos (para a época) JK, dando algum apoio aos pilotos.

 

Durante a década de 60, desenvolveu-se o preparo de motores VW. Um fator que contribuiu para esse desenvolvimento foi a criação da Fórmula Ve nos Estados Unidos, em 1962. Assim que a VW brasileira decidiu apoiar a formação da F-Vê no Brasil, em 1966. A categoria durou só dois anos nessa fase inicial, mas colocou a VW em posição importante no esporte automotor, devido ao fechamento das três equipes de fábrica então existentes (Simca, Vemag e Willys). De fato, a partir de 67 os fuscas começaram a aparecer em profusão nas pistas brasileiras.

 Os irmãos Fittipaldi prepararam um fusca de 1600 cc que ganhou uma importante corrida, as 12 Horas de Porto Alegre de 1968. No ano seguinte, foram um pouco além, e prepararam um Fusca bi-motor, que tinha 3 litros de capacidade total. Assustava nos treinos, mas nas corridas nunca terminava. E o Puma, (GT Malzoni) que fora criado para a plataforma DKW, começou a usar os componentes VW a partir de 67. Diversos Puma-VW competiram no Brasil, de 1968 a 1972, além do Lorena, um bonito GT com panca de Ford GT-40 que competiu até 1970.

 

Heve com motor VW 2 litros superpreparado: o papa-tudo da Divisão 4 com Mauricio Chulam

Além dos fuscas de competição, alguns dos quais chegavam a ter 2 litros de capacidade, e que ameaçavam carros de maior cilindrada, diversos protótipos foram construídos com mecânica VW. Para começar o AC, construído por Anísio Campos, além do ‘Patinho-Feio”, o Heve, o Sabre, o Polar, Manta, etc., etc. O próprio Protótipo Fitti-Porsche foi equipado, posteriormente, com motor VW.  Quando foi criado o Campeonato Brasileiro de Turismo (Divisão 3), em 1971, o Fusca reinou supremo, até aparecerem os primeiros Chevette, Brasilia e Passat de competição a partir de 1974. O único outro carro na classe do Fusca, até então, era o Ford Corcel que nunca foi um bom carro de corridas, apesar de o seu motor equipar o Fórmula Ford brasileiro. Fausto Dabbur ganhou a primeira corrida da D-3 na qual um Fusca bateu os potentes Opala, em 1973.

 

Edson Yoshikuma (Gledson) e Julio Caio (Hollywood) batalham em Interlagos, 1973

Em 75, o desenvolvimento dos Fusca de 1600cc era intenso, mas eventualmente o campeonato de Divisão 3 acabou, e foi criada uma nova categoria: a Hot Cars, em essência a Divisão 3 sem os carros grandes.  Nesta categoria, os Fusca continuaram a batalhar intensamente com o Passat, também da VW, até que a categoria acabou a nível nacional. Entretanto, Fuscas continuam a correr no Brasil, de Norte a Sul, até hoje, am torneios de Hot Car e copas especiais para Fuscas.

 

Fusca com cara de brabo: Guarana Menezes, 1974

Diversos pilotos brasileiros de grande categoria correram com os fuscas, em uma fase ou outra da sua carreira, entre os quais se destacam: Emerson Fittipaldi, Wilson Fittipaldi Jr.,  Chiquinho Lameirão, Alex Dias Ribeiro, Nelson Piquet, Ingo Hoffman, Leonel Friedrich, Christian Heins, Alfredo Guarana Menezes, Eugenio Martins, Paulo Gomes, Jan Balder, Vittorio Andreatta, Jose Carlos Pace, Mauricio Chulam, Rafaele Rosito, etc. etc.

OUTROS ARTIGOS DE AUTOMOBILISMO DE AUTORIA DE  CARLOS DE PAULA

AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

Série de artigos informativos

 

O FINAL DA FASE ROMANTICA DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

FORTALEZA, FINALMENTE

INAUGURAÇÃO DOS AUTÓDROMOS DO PLANALTO CENTRAL

A ÚNICA CORRIDA NO ESTADO DE SÃO EM PAULO EM 1968/1969

BRASILEIROS NA FORMULA 1

VOANDO A 180 POR HORA NO PARANÁ 

COPA BRASIL 1970

COPA BRASIL 1972

CIRO CAYRES

500 KM DE INTERLAGOS DE 1973

O FIM DA PROMESSA DA DIVISÃO 3

PILOTOS BRASILEIROS NO MUNDIAL DE MARCAS (Corrigido)

WILLYS MANDA VER NO URUGUAI

DELÍRIOS, DEVANEIOS, DESEJOS E DESILUSÕES 

O GP DE FORTALEZA DE 1969

O DEBUT DA FORMULA FORD BRASILEIRA

FORMULA VE - PRIMEIRA GERAÇÃO

TORNEIO BUA DE FORMULA FORD - 1970

CAMPEONATO BRASILEIRO DE VIATURAS ESPORTE DE 1971/1972

25 HORAS DE INTERLAGOS DE 1974 - REVANCHE DOS OPALA

500 KM DE INTERLAGOS DE 1974 - APOGEU DA DIVISÃO 3

CARROS DE PRODUÇÃO BRASILEIROS NO AUTOMOBILISMO - 1956 a 1980

DESPEDIDA DA GÁVEA - 1954

NOVAS E VELHAS CARRETERAS

A (QUASE) ULTIMA VITORIA DE CAMILO CHRISTOFARO

A DESPEDIDA DE PEDRO VICTOR DE LAMARE

RIVALIDADE PAULISTA/CARIOCA NO AUTOMOBILISMO

QUEM GANHOU A CASCAVEL DE OURO DE 1973?

RESENHA DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO - 1973

RESENHA DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO - 1974

RESENHA DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO - 1975 

EQUIPE JOLLY - ALFAS GTA NO BRASIL

A TEMPORADA DE JOSÉ CARLOS PACE EM 1972

A CARREIRA INTERNACIONAL DE INGO HOFFMAN

A POLITICA NO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

PILOTOS ESTRANGEIROS NAS TEMPORADAS BRASILEIRAS DE 1970 A 1972

AUTOMOBILISMO NO INTERIOR DO BRASIL

INICIO DA MARLBORO NA F-1

EQUIPE WILLYS - OS TEMÍVEIS AMARELINHOS

O RENASCIMENTO DA STOCKCAR

15 MINUTOS DE FAMA - LORENA E BRASINCA

BRASILEIROS EM LE MANS, 1978

EQUIPE DKW VEMAG - RAÇA PURA

A ULTIMA CORRIDA DO BRASIL

A EQUIPE SIMCA DO BRASIL

O FUTURO DA FÓRMULA-1

AUTOMOBILISMO BRASILEIRO - ANTES DE 1970

GALERIA DE PILOTOS BRASILEIROS QUE CORRERAM NO EXTERIOR 

CAMPEÕES DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO 

CURIOSIDADES DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

BRASIL - COMEÇO DO CELEIRO DE PILOTOS - 1966-1971

RESULTADOS DO TORNEIO BRASILEIRO DE F-2, 1971

RESULTADOS DO TORNEIO BRASILEIRO DE F-2, 1972

1972 - CONSAGRAÇÃO DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

VENCEDORES DE CORRIDAS NO BRASIL

SCHUMACHER: É O MELHOR DA HISTÓRIA? 

EQUIPE HOLLYWOOD - COMEÇO DO PATROCÍNIO COMERCIAL

CHEVROLET OPALA NAS COMPETIÇÕES BRASILEIRAS 

A ERA FITTIPALDI - 1973/1975

MONOPOSTOS NO BRASIL ATÉ 1980

MECÂNICA CONTINENTAL - ONDE ELES ESTÃO?

PIONEIRISMO DE EMERSON FITTIPALDI

FUSCA NAS CORRIDAS BRASILEIRAS

MARCOS DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

FORMULA SUPER-VE NO BRASIL

25 HORAS DE INTERLAGOS DE 1973

HISTÓRIA DA STOCKCAR

DIVISAO 4 - A CATEGORIA QUE QUASE DEU CERTO 

COPERSUCAR FITTIPALDI: ACERTO OU ERRO?

MARCOS DA F-1

FORMULA JUNIOR NO BRASIL

FORMULA FORD - FASE INICIAL

PATROCINADORES PIONEIROS DO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO

KARTISMO - A RAZÃO DE SERMOS UM CELEIRO DE PILOTOS 

 

 
Back to Brazilian Yellow Pages

Send mail to carlosdepaula@mindspring.com with questions or comments about this web site.
Last modified: March 28, 2007